Análise » Artemis Fowl: O Menino Prodígio do Crime - Criando Heróis

Últimas Notícias

Análise » Artemis Fowl: O Menino Prodígio do Crime

Artemis Fowl

Você acredita em fadas? Se a resposta é não, é porque elas estão fazendo um ótimo trabalho. E se você imaginou que fadas são as criaturas narradas como seres carregados de purpurina com uma varinha de condão, a realidade precisa ser revelada a você. Uma realidade onde essa raça é incrivelmente mais avançada tecnologicamente do que a nossa, com direito a uma espécie de S.W.A.T. própria. É o que mostra a série irlandesa de livros Artemis Fowl, do autor infanto-juvenil Eoin Colfer que foi lançada em 2001 e se tornou um best-seller instantaneamente, trazendo legiões de fãs seguindo e torcendo por seus personagens até esse ano, quando foi lançado o oitavo e ultimo livro.

Considerando que o tema roda em torno de criaturas do universo infantil já supomos uma história excessivamente leve, mas não é bem assim que funciona nos livros de Eoin.

No enredo somos apresentados ao protagonista Artemis Fowl II, sucessor da maior família mafiosa da Irlanda e um gênio do crime de apenas 12 anos que vê seu mundo mudar quando seu pai é dado como desaparecido após um de seus 'trabalhos' ter sido mal sucedido. O pré-adolescente tem que arcar com os negócios da família ao mesmo tempo em que conforta sua mãe, que após o ocorrido, entra em depressão. Artemis não desiste de encontrar seu pai e para conseguir o dinheiro necessário empreende uma aventura complicada com um objetivo duvidoso: roubar ouro das fadas, baseado em informações nas suas redes de contato, acreditando estar lidando com uma espécie completamente atrasada. É nessa tentativa que ele conhece Holly Short, a primeira capitã fêmea da LEPRecon, unidade policial avançada do mundo subterrâneo, uma elfo de temperamento forte e que não está disposta a deixar que um garoto de 12 anos exponha sua espécie ao resto dos humanos. Assim, começa a primeira aventura da série que conta com duas graphic novel e o livro Arquivo Artemis Fowl, com alguns contos sobre o passado de alguns personagens e outros que intercalam os livros principais.

A narração é muito rápida, com diversas tiradas e momentos em que você realmente prende a respiração para ver o que acontece. O que ajuda bastante é o temperamento do próprio Artemis, que apesar da idade é completamente pessimista e perfeccionista, de uma inteligência anormal que, porém, não pode contar de forma alguma com qualquer habilidade física, deixando os trabalhos manuais para seu guarda-costas Butler, um eurasiano imenso que segue cegamente as ordens do garoto e é especializado em todas as artes marciais existentes.

A parte da comédia fica com Palha Escavator, um anão criminoso que já quebrou quase todas as regras do mundo subterrâneo e o centauro paranoico Potrus, agente de inteligência e tecnologia da LEPRecon que disputa em todos os livros com Artemis nos assuntos que exigem complexidade de raciocínio. Todos os personagens são muito bem trabalhados nas suas características, o que leva a pensar sobre como essa série não se tornou tão conhecida no resto do mundo. Fato que pode ser explicado devido ao fato dos livros terem sido lançados quase que ao mesmo tempo em que as continuações dos livros da coleção Harry Potter, da autora J.K. Rowling, que já era o topo dos livros infanto-juvenis.

Em resumo, é uma ótima série, para todas as idades que relaxa e estimula você a pensar ao mesmo tempo, com personagens que você vai carregar consigo para o resto da vida. Leitura altamente recomendada, com os sete primeiros livros em português lançados pelo Grupo Editorial Record. Boa leitura!

Criando Heróis desenvolvido por Templateism.com copyright © 2014

Tecnologia do Blogger.